A comunicação não verbal na velocidade das informações

 
 
Nos dias atuais, a atratividade e a velocidade das informações é fantástica. Ótimo de um lado, mas muito preocupante de outro.
 
Com o acesso cada vez mais fácil, através de tabletes e celulares, as pessoas estão perdendo a noção da importância do contato pessoal.
 
A comunicação é um processo de mão dupla, que vai além da transmissão de informação. Na comunicação verbal, ao informar, transmitimos também afeto, emoção, entusiasmo, estímulo, tão necessários para a motivação.
 
Sem perceber, muitas pessoas deixam a ansiedade dominar e não estão mais conseguindo aceitar o rítmo do seu interlocutor e cometem atos desatrosos de comunicação.
 
Se você , sem perceber está entrando nessa onda... pare um pouco.
 
Respire fundo, pense que a vida é mesmo muito valiosa e então aproveite cada momento com sua equipe de trabalho, amigos e familiares.
Dicas para melhorar a comunicação não-verbal
1. Mostre sua consideração para com a outra pessoa aproximando-se dela, inclinando-se em sua direção e acompanhando sua palavras com suaves gestos de cabeça e postura.
2.Ao ouvir alguém, mantenha o contato do olhar, deixando de fazê-lo apenas para tomar notas. Evite, entretanto fixar o olhar, para não gerar constrangimento ou desconforto.
3. Aumente seu poder de persuasão mostrando alegria em sua expressão facial, seus gestos e na entonação, ritmo e volume da voz. Use os tons de sua voz e a expressão facial para transmitir seus sentimentos além do conteúdo verbal de sua mensagem.Tais variações permitem que você se mostre sério num cofronto e sorridente quando estiver dando apoio para sua equipe.
4. Use o toque profissional: dê apertos de mão, toque com a mão suavemente na mesa. Toques no ombro ou antebraço ou tapinhas nas costas, para enfatizar um discurso, merecem cautela para não ser interpretado como assédio sexual. Lembre-se há pessoas que repelem toques.
5. Cuide de sua aparência."Vestir-se para o sucesso não impressionará a todos, mas deixar de fazê-lo irá afastar muitos".
"Não basta saber o que se deve dizer, mas , sobretudo, como dizê-lo" - Aristóleles
 
Monica Bevilacqua - Consultora Orienttar