Liderança – prática natural


Quando nos recordamos da infância, sempre  nos lembramos  das brincadeiras em turma, das alegrias proporcionadas em  jogos  e atividades coletivas . Pode ter certeza, elas aconteciam porque alguém tinha uma “tal ideia”, convencia os coleguinhas, explicava como era o “jogo” ou a brincadeira e, de fato, a alegria reinava e a turminha  toda se divertia, tudo funcionava. 

Nesta inocente e nostálgica imagem, a liderança surgia de modo natural e espontâneo.  Não havia nenhum processo para  capacitar este líder, o que pode nos remeter à ideia de que não precisamos fazer nada para que a liderança apareça.  Arrisco dizer, que talvez  ainda hoje, esta imagem faça parte do cotidiano de muitas empresas.

Escolher o empregado mais “fiel” e “confiável”, ou o de melhor performance  e mais produtivo empregado  do setor  , ou trazer o “herdeiro” para assumir um posto de liderança , é uma atitude comum  na vida organizacional e se repete no histórico de muitas empresas.

Porém, este processo geralmente não funciona. Problemas começam  a surgir e se acumular, não é fácil administrar metas  e objetivos , processos, orçamento  e pessoas. O título “Líder” não garante expertise nem resultados. Por mais argumentos que se ofereçam aos  resultados insatisfatórios,  um grande motivo está no erro em não capacitar ou preparar esse líder.

Ouso afirmar que a liderança é a competência mais carente nas empresas, é o fator mais impactante nos resultados, sejam eles evidenciados num índice de “turnover” ou na imagem de “melhor empresa” para se trabalhar.

O movimento a ser seguido na busca de solução de muitos problemas e disfunções organizacionais está na direção da valorização das pessoas, contemplando principalmente a formação e desenvolvimento de líderes, sejam eles, os executivos, a média gerencia ou os jovens talentos.

Focando o cenário organizacional, cabe aos administradores reverter  os problemas em oportunidades, com auxílio de Consultorias e profissionais qualificados, e promover  o desenvolvimento de qualidades de liderança, uma vez que somadas às competências administrativas são fundamentais para o sucesso organizacional.

Assim, podemos dizer que daquela lembrança da infância, com cheiro de suor e cor de alegria, o natural das relações humanas é a prática da liderança, não seu exercício.  Para a melhor prática de liderança a solução é a capacitação e desenvolvimento, acessível a todos que acreditam  em inspirar e mover pessoas a atingir e superar obstáculos em busca de metas e objetivos.

Monica Bevilacqua

Psicóloga e Consultora Organizacional



Orienttar capacita a Liderança - entre em contato conosco:


Monica Bevilacqua
Soraya Dacal